YOGA E MEDITAÇÃO EM CAMPINAS

21 de jun de 2011

YOGA E SISTEMA IMUNOLÓGICO

Por Miriam Regina Xavier de Barros *
Na época do inverno, observamos um aumento significativo da incidência de pessoas com problemas respiratórios, como gripes, resfriados, asma, rinite, bronquite e alergias em geral. Entretanto, algumas pessoas contraem estas doenças e outras não. Além disso, algumas têm leves resfriados, outras gripes mais duradouras e outras ainda chegam a contrair pneumonia e até problemas mais graves. Qual é a diferenças entre elas, já que todas estão expostas às mesmas condições climáticas e, além disso, não há como evitar o contato com vírus e bactérias que se propagam com facilidade no ar seco típico desta estação? A diferença está nas condições do sistema imunológico de cada um.
O sistema imunológico tem a tarefa de proteger o corpo contra microorganismos invasores e pode estar mais ou menos ativo, dependendo da pessoa. Veja como o yoga pode contribuir para equilibrar seu sistema imunológico.

A melhor forma de combater os problemas respiratórios típicos do inverno é equilibrar o sistema imunológico. Para entender como isso acontece, vamos conhecer um pouco sobre este incrível sistema de defesa do organismo. O sistema imunológico protege o corpo através de um complexo mecanismo de identificação e eliminação de organismos estranhos, como vírus, bactérias, toxinas, micróbios e parasitas. Além disso, o sistema imunológico faz a retirada de células mortas e de células alteradas, que diariamente surgem no nosso corpo e que, se não forem destruídas, darão origem a tumores. O funcionamento deste mecanismo de proteção e limpeza do corpo depende de que ele esteja equilibrado e nutrido adequadamente.

Quando o corpo está sob stress, todas as suas energias são canalizadas para prepará-lo para fugir ou lutar. Assim, a atividade do sistema imunológico é reduzida, deixando o corpo mais suscetível a enfermidades. A prática de posturas do Yoga propicia a auto-observação, a consciência corporal e mental, contribuindo para a redução do nível de stress e de seus efeitos bioquímicos e psicológicos. Em conseqüência disso, o organismo se equilibra e se torna apto a combater os microorganismos invasores e a eliminar as células mortas e alteradas.
O stress pode também acelerar o sistema imunológico, fazendo com que ele responda de forma exagerada aos agentes externos e produzindo alergias. A prática de posturas de forma lenta e relaxada, com respiração lenta e profunda relaxa o sistema nervoso, acalmando o sistema imunológico e reduzindo os sintomas alérgicos.

Alguns dos componentes mais importantes do sistema imunológico são: o sistema linfático, o baço, o timo, os glóbulos brancos e os anticorpos.

No sistema linfático, circula um fluido, a linfa, que tem a função de levar água e nutrientes para as células e de carregar toxinas e resíduos para fora delas, já que os vasos sanguíneos não chegam até cada uma das células. À medida que circula pelo corpo, a linfa é filtrada nos nódulos linfáticos, mas não possui uma “bomba” como o sangue, que tem o coração para fazê-lo circular no corpo. As posturas praticadas no yoga ativam a circulação da linfa, permitindo que ela chegue a todas as partes do corpo e favorecendo a nutrição e a drenagem das células.

O baço é um órgão localizado entre o estômago e o diafragma, que filtra o sangue em busca de células estranhas, para que o corpo possa eliminá-las. As posturas de flexão para frente, como a pinça (Paschimottanasana), e de torção, como a Matsyendrasana, realizadas durante a prática de yoga, produzem um massageamento do baço, regenerando-o e estimulando seu bom funcionamento. Estas duas posturas são mostradas respectivamente nas fotos abaixo.
O timo é responsável pela produção e maturação de alguns dos glóbulos brancos, que são as células de defesa do organismo. Eles combatem os microorganismos causadores de doenças por meio de sua captura ou da produção de anticorpos. O timo tem um papel fundamental no sistema imunológico, porém ao longo da vida ele vai definhando. A realização de posturas de expansão do peito, onde está localizado o timo, ajudam a mantê-lo ativo e equilibra seu funcionamento. Alguns exemplos destas posturas são a Cobra (Bhujangasana), o Arco (Dhanurasana), o Camelo (Ustrasana) e o Peixe (Matsyasana), conforme mostrado nas fotos abaixo. Uma forma adicional de ativar o timo é simplesmente tamborilar os dedos sobre o osso central do peito, onde as costelas se inserem, na altura da segunda costela.
                        
 
  
 A prática de exercícios respiratórios contribui para que a respiração fique mais lenta e mais profunda, acalmando o corpo, dando tempo para que o ar se aqueça e se umedeça antes de chegar aos pulmões e ajudando a expelir melhor o ar dos pulmões, durante a expiração. 
Finalmente, a prática de meditação reduz a ansiedade e melhora a qualidade do sono, criando as condições para que o sistema imunológico funcione adequadamente.

Para que o sistema imunológico possa desempenhar o seu papel de proteção do organismo, devemos praticar yoga com regularidade e complementar a prática com a ingestão de alimentos naturais e saudáveis, como frutas, cereais, legumes e verduras, evitando na medida do possível alimentos industrializados, refinados e com aditivos, como agrotóxicos, conservantes, aromatizantes, acidulantes e corantes.

* Miriam Regina Xavier de Barros é professora de Yoga no Padma Yoga e Terapias e no MahaDevi Yoga, em Campinas.


Referências:
1.      Jeff Migdow, Balancing the immune system with yoga, http://www.yogasite.com/migdow1.htm
2.      José Hermógenes de Andrade Filho, Saúde na Terceira Idade, Editora Nova Era, 1996
3.      Marshall Brain, Como funciona o sistema imunológico, How Stuff Works
4.      Forward Bend Poses, Yoga Journal, http://www.yogajournal.com/poses/finder/browse_categories/forward_bends
5.      Seated & Twist Poses, Yoga Journal, http://www.yogajournal.com/poses/finder/browse_categories/seated_and_twists